Gerenciamento Ambiental de Obras, como funciona?| Parte 1

O gerenciamento ambiental de uma obra civil é obrigatório? Sim e Não. Como assim Patrícia?

O gerenciamento ambiental de um empreendimento depende da complexidade do mesmo, como por exemplo, uma obra de ampliação de um Aeroporto, onde são necessários diversos estudos ambientais em decorrência de uma licença ambiental e muitas vezes é necessário uma equipe multidisciplinar para monitorar emissões atmosféricas, resíduos, efluentes, ruídos, supressão vegetal, resgate de fauna, dentre outros estudos. Uma obra de um edifício residencial por vezes tem por acompanhamento da geração de resíduos. E ambos tratam-se de obras civis.

O gerenciamento ambiental inicia antes de uma obra, quando a equipe de supervisão ambiental trabalha em conjunto com a equipe de engenharia, de forma a otimizar os custos de uma obra. Mas isso acontece na prática? Pouquíssimas vezes, infelizmente. Há um enorme pré-conceito de que os profissionais da área ambiental “atrapalham a obra”, ou somos os ecochatos. Infelizmente este paradigma precisa ser modificado, por experiencia própria,  vejo muitas obras com altos custos na disposição de resíduos, contratação de mais de um consultor ambiental, ou seja, retrabalhos e custos altíssimos em decorrência de má gestão. Má gestão? Sim, pois a parte ambiental deve ser incluída dentro do planejamento ambiental de uma obra, assim como os custos com contração de equipes para supressão vegetal, assim como dispor dos resíduos gerados. Há de se perceber a importância deste profissional, mas quem é o profissional da área ambiental? Podemos ter na atuação Engenheiros Ambientais, Florestais, Agrônomos, de Minas, Biólogos, Químicos, Geógrafos e Geólogos.

Como funciona o Gerenciamento Ambiental?

Conforme elucidado anteriormente, tudo vai depender do objeto do contrato: supervisão ambiental de uma licença ambiental; atendimento da legislação ambiental, atendimento de pré requisito para uma certificação verde. Vamos abordar aqui o exemplo de Supervisão de uma Obra de grande complexidade, com uma licença ambiental recheada de requisitos de atendimento. De posse da licença, o empreendedor que por vezes nem lê o documento, se depara com uma série de condicionantes ambientais que deverão ser cumpridos de tempo em tempo, quando por vezes, após a emissão documento é dado 30 dias para entrega de alguns documentos. 

Voltando ao exemplo, estudo deste artigo, a licença ambiental apresenta requisitos ambientais quanto a produção mensal, quanto a conservação do ambiente natural, requisitos quanto aos efluentes líquidos, resíduos sólidos, ruídos, atendimento da legislação ambiental, dentre outros estudos. Mas, quem determina quais estudos são estes? Na etapa inicial do licenciamento ambiental, nas solicitações dos órgãos ambientais, existem requisitos como apresentação de um EIA-RIMA, assim como de um PCA, ou RCA, dependendo da complexidade do empreendimento. Nestes estudos técnicos ambientais são descritas as atividades necessárias que deverão ser cumpridas durante a instalação de uma obra.

A empresa de consultoria é sempre a melhor opção para as incorporadoras/ construtoras, quando se trata da execução deste serviço, haja vista que contratar apenas um profissional para atendimento de todos estes serviços seria oneroso para elas. Ficou interessado no assunto? Deixa teu comentário aqui embaixo, ou sugestão de tema.

Copyright © 2017 Licenciamento Ambiental | G&P Soluções Ambientais

Share This