Qual a necessidade e qual a importância do Laudo de Fauna?

A fauna silvestre é composta tanto por animais vertebrados (aves, mamíferos, répteis, anfíbios e peixes), quanto por invertebrados (insetos, crustáceos, artrópodes, etc). Esta fauna é de extrema importância para a manutenção dos ecossistemas e indispensáveis para o ciclo de vida de diversas espécies vegetais, contribuindo para a polinização e dispersão de sementes.

Com a expansão de cidades e da agricultura, ocorre a perda dos habitats utilizados pela fauna, resultando no afugentamento de espécies, principalmente das de grande porte, e favorecendo a inserção de espécies exóticas/invasoras, fator que contribui para a redução da biodiversidade da região afetada.

O laudo de fauna é um item comumente solicitado por órgãos ambientais para a instalação de empreendimentos. Este laudo irá apresentar listas de espécies e dados a respeito das populações existentes na área.

Para a elaboração deste laudo, diversas técnicas devem ser empregadas, uma vez que iremos coletar dados referentes a vários grupos da fauna. Geralmente o órgão ambiental responsável pelo licenciamento estabelece os parâmetros mínimos a serem utilizados, tais como grupos a serem apresentados, métodos e sazonalidade.

Cada grupo da fauna possuí métodos específicos para a coleta de dados e formação da lista de espécies da área, tais como:

Avifauna

Podem ser realizados levantamentos por busca ativa ou pontos fixos, onde são realizados registros visuais e auditivos. Em alguns casos pode ser solicitado o uso de redes ornitológicas, para a captura de aves.

Mastofauna

O inventário de mamíferos pode ser realizado por meio de visualização em busca ativa, registros de rastros e pegadas, utilização de armadilhas de captura e armadilhas fotográficas.

Herpetofauna

Neste grupo temos os répteis e os anfíbios. Para a amostragem deste grupo são realizadas atividades de busca ativa nos habitats de ocorrência deste grupo, tais como locais úmidos e escuros, pedras, ocos de árvores, troncos, restos de construção, áreas úmidas, banhados, lagoas, etc. Pode se também utilizar armadilhas de interceptação e queda, para a realização de capturas.

Os grupos citados acima são os mais frequentemente estudados para a implantação de empreendimentos, salvo situações onde temos a presença de corpos d’água e necessitamos realizar também o estudo da ictiofauna, ou em situações onde são solicitados estudos a respeito da fauna de invertebrados, seja para identificar possíveis vetores de doenças ou para a identificação de espécies, aquáticas ou terrestres, que indiquem a qualidade ambiental deste local.

Portanto, o laudo de fauna irá indicar quais as espécies que utilizam a área, a existência de espécies ameaçadas de extinção, o grau de antropização do local e quais os impactos que o empreendimento causará sobre a fauna da região.

Sendo assim, para a realização de um bom laudo de fauna, deve-se sempre contratar um profissional responsável e que tenha conhecimento dos grupos faunísticos a serem estudados.





Receba os melhores conteúdos sobre Consultoria Ambiental!

Cadastre-se agora para receber nossa newsletter.

Diana Dellagnese

Diana Dellagnese

08/05/2020

Diana atua como consultora da G&P praticamente desde o início dos Projetos de Infraestrutura. Bacharel em Ciências Biológicas e Especialista em Avaliação de Impactos Ambientais. Atua como bióloga em processos de licenciamento ambiental. Tem experiência na realização de estudos e emissão de laudos de fauna e flora, elaboração e execução de planos de manejo, resgate e afugentamento da fauna, elaboração e execução de projetos de plantio compensatório, reposição florestal obrigatória, solicitações de supressão e poda de árvores, supervisão ambiental de obras, entre outros.

Copyright © 2017 Licenciamento Ambiental | G&P Soluções Ambientais

Share This